Maternidade com mais conhecimento e liberdade

3 de maio de 2018 | por André Sequeira

A maternidade é e será sempre um tema complexo para ser abordado. Desde o momento da concepção até o período em que os pais já convivem com as crianças, existem diversas informações, vertentes educacionais, visões médicas, momentos específicos de desenvolvimento do feto e do bebê. Invariavelmente, os responsáveis, com mais destaque para as mães, precisam embarcar em um mundo novo, onde tudo gera frustação e insegurança.

Enquanto isso, as informações estão espalhadas e fragmentadas, sendo muito difícil encontrar a maioria das variáveis possíveis em um só lugar. É comum, então, que as mulheres acabem participando de grupos de discussão de grávidas e mães. A melhor forma de aprender acaba sendo por meio da experiência de alguém que passou pelo que essas mulheres irão passar.

Bela maternidade, escrito pela mãe de dois filhos Bela Gil, chega às livrarias para reunir em um só lugar diferentes informações e suprir esta necessidade de tantos pais ansiosos por mais conhecimento. Também será útil para aqueles que não tem ideia do que virá. A obra é um compilado fácil, acessível, com exemplos reais de dados que Bela organizou, pesquisou e aprendeu após duas gravidezes.

O conteúdo é intercalado com entrevistas de especialistas, fornecendo um respaldo técnico importante sobre cada assunto tratado. Participam nutricionistas, psicólogos, obstetras, obstetrizes, entre muitos outros.

Bela Gil tem como objetivo deixar todas livres para escolherem o caminho a seguir. Para ela, mulher com conhecimento é sinônimo de mulher tranquila e feliz, características essenciais para a gestação e criação da criança. Se ela está insegura, naturalmente a criança será insegura também.

Ao contrário do que muita gente imagina, Bela está longe de ser esta pessoa radical que só enxerga a própria versão dos fatos. O livro relata de maneira honesta suas experiências, sejam elas as mais naturais possíveis ou não. Não existe extremismo. O que funciona para uma mãe não necessariamente vai funcionar para outra. Ela fala da sua maternidade e do seu conto de fadas, e, ao ler a história, percebemos como a trajetória dela pode ajudar muitas outras mães. Afinal, informação é liberdade. Pais livres e felizes criam filhos livres e felizes. Bela, inclusive, relata erros e acertos que ela acredita que tenha cometido em suas duas gravidezes. Ela mostra o que fez e o que funcionou ou não…PARA ELA.

Um dos trechos mais importantes do livro é sobre o puerpério, momento tão importante e, mesmo assim, desconhecido de grande parte das mães e da sociedade. Neste período pós-parto, sem prazo definido para acabar, a mulher passa por muitas alterações hormonais, físicas e emocionais. Quem sabe o que é, sabe da complexidade de enfrentá-lo. Assim como nasce uma criança, nasce uma mãe também, e essa assimilação, por mais que pareça banal, pode gerar consequências bem difíceis.

O livro discute temas desde a gravidez, passando pelo parto, pelo puerpério, pela amamentação e, finalmente, pela introdução alimentar. A gestação muda muito a vida da mãe, tanto psicológico quanto fisicamente.

Na área em que é especialista, Bela Gil aborda a amamentação e a introdução alimentar, um dos momentos mais desafiadores para os pais. Quanto ao primeiro, ela fala de características boas e ruins e das dificuldades. Segundo ela, uma amamentação de sucesso é meio caminho andado para a segundo a etapa, o começo dos alimentos na vida dos bebês.

A introdução é tratada de maneira didática, com receitas e dicas de como montar os pratos. Bela Gil narra como fez com seus dois filhos e como é importante levá-los para dentro da cozinha. Quando eles conhecem cada alimento e também o processo de preparo, tudo fica muito mais fácil.

A ideia de produzir esta edição veio do sentimento de que informação é fundamental, ainda mais quando uma mulher está grávida. Durante os nove meses, fora o pós-parto, a mulher se sente julgada e culpada a todo momento sobre qualquer assunto relativo ao bebê. A única forma de combater esta realidade cruel é justamente se cercar de bons exemplos, boas fontes de informação para, assim, sentir-se mais segura na defesa dos pontos que considera certos para sua realidade e de sua família. Bela maternidade dará o suporte para que as mulheres possam viver em paz com suas escolhas conscientes.

TAGS:

Conteúdo Relacionado

Seis conselhos importantes de Rhonda Byrne em “O poder”