Empodere-se com amor

23 de fevereiro de 2018 | por André Sequeira

Maria tem 34 anos e nunca atingiu os objetivos desejados. Quando prestou vestibular, queria cursar Medicina em uma universidade pública. Mesmo estudando diariamente e sendo ótima aluna no colégio, sempre afirmou que dificilmente seria aprovada. E acertou: passou somente nas faculdades particulares. Depois de formada, por ter certeza que não passaria na prova de residência para uma instituição do Estado, acabou cursando uma pós-graduação paga. Na vida pessoal, emenda relacionamento frustrado atrás de relacionamento frustrado. Maria não é realizada profissionalmente e, mesmo desejando muito ter filhos, ainda não encontrou sua alma gêmea.

Marcelo tem 38 anos e vive em constante felicidade. Estudou na escola em que sempre quis – e de onde são seus melhores amigos –, cursou direito na melhor universidade da sua cidade – de quebra realizou o sonho de ter a mesma profissão do avô – e é pai de duas lindas meninas e marido do amor de sua vida. Marcelo sempre foi um otimista por natureza e acredita que quando se coloca o amor à frente das decisões o sucesso está garantido.

Joana tem 56 anos e sempre conseguiu o que almejou. Tem uma família boa, um emprego satisfatório e é reconhecida profissionalmente. Ao examinar a vida dela, 100% das pessoas afirmariam sem a menor dúvida que Joana é feliz. Contudo, nada dela foi alcançado com amor e alegria, mas sim, porque é competente e sempre esteve no lugar certo na hora certa. O resultado é que não sente prazer em âmbito algum de sua vida.

Quando analisamos os três exemplos citados – pessoas reais, que apenas tiveram os nomes modificados – percebemos diferença clara entre eles. Um é feliz com tudo; outro, infeliz crônico; o último, parece estar na vida apenas a passeio. Porém, o cerne da questão é um só: Marcelo vive por meio do amor e segundo a lei da atração. Enquanto isso, Maria e Joana ainda não descobriram, de verdade, o poder real deste sentimento.

Ora, mas que amor é esse que pode fazer com que todos vivam em plenitude? Quem garante que Joana, por exemplo, não poderia ser feliz ao alcançar seus alvos?

O tipo de amor descrito pelos grandes filósofos do mundo é distinto daquele assumido como regra pela quase totalidade das pessoas. É muito mais do que amar a família, os amigos e as coisas favoritas, porque o amor não é apenas uma emoção: é a força positiva da vida. Não é fraco, débil nem suave. É a energia que nos conduzirá ao longo da vida. É a causa de tudo que é positivo e bom.

É essa força e sua importância que Rhonda Byrne aborda na nova obra O poder. Mundialmente conhecida por O segredo, o novo livro surgiu das histórias de superação enviadas a ela pelos leitores, que mostravam as diversas dificuldades enfrentadas em seus respectivos cotidianos. A partir destas descobertas nasceu o conhecimento capaz de transformar vidas em um instante. Segundo a autora, não existem cem forças positivas diferentes na vida – apenas uma, o amor.

O amor é a causa de tudo que é bom em na nossa existência, e a falta dele é a causa de tudo que é negativo, de toda a dor e de todo o sofrimento. É evidente a falta de conhecimento e de compreensão sobre o poder do amor na vida dos indivíduos hoje – e em toda a história da humanidade. Nos exemplos narrados no começo do texto, percebe-se, claramente, quem entendeu a importância desse poder.

Outro erro crasso identificado por Rhonda Byrne é que a maioria das pessoas pensa e fala mais sobre aquilo que não gosta do que sobre aquilo que ama. Transmitem mais negatividade do que amor e, ao fazerem isso, privam-se das coisas boas da vida. Não acredita? Analise o mundo ao seu redor: você escuta mais histórias positivas e relacionadas a sucesso ou fofocas e comentários que menosprezam terceiros? As pessoas refletem mais sobre o que precisam fazer para atingir os objetivos ou reclamações dos motivos que as impedem de chegar lá?

O importante – e a escritora afirma categoricamente isso em O poder – é cada um saber que a existência plena não acontece simplesmente, ela é uma resposta aos seus anseios. Cada nível da vida é uma decisão pessoal de cada um, que vai viver por meio do que gerou internamente. Impulsione a imaginação ao máximo e imagine o melhor e maior que puder, seja o que for.

Enquanto O segredo revela a lei da atração, O poder contém a essência de tudo que Rhonda apendeu desde que o primeiro livro foi lançado. O leitor terá, agora, a oportunidade de compreender que necessita apenas de uma coisa para mudar a sua vida, seja no campo dos relacionamentos, da saúde, da felicidade e profissional. A disposição para atingir tudo que você quiser está dentro de si próprio. Sem exceção, todos que têm uma vida feliz usaram o amor para alcançá-la.

Não é necessário ler O segredo para que O poder surta efeito. Tudo que você deve saber está aqui. Mas, se você leu o primeiro livro, então este vai somar-se de forma incrível ao que aprendeu anteriormente.

TAGS:

Conteúdo Relacionado

Seis conselhos importantes de Rhonda Byrne em “O poder”