Ensinamentos de Stephen Covey para que todos atinjam o equilíbrio

15 de fevereiro de 2018 | por André Sequeira

Relógio x bússola

O relógio representa os compromissos, as reuniões, as metas e as atividades. Já a bússola engloba a visão, os valores individuais, os princípios, a consciência e a direção que escolhemos seguir. Este é um dos principais argumentos de Stephen Covey para ir de encontro ao gerenciamento tradicional. De acordo com ele, só definindo o norte verdadeiro é que as pessoas estarão sendo verdadeiras com seus princípios e com o propósito, e colocando as prioridades em primeiro lugar.

 

Planejamento de prioridades

Ao organizar a próxima semana ou o próximo mês, o essencial não é colocar seus horários como se preenchesse uma agenda ou uma planilha no computador. A primeira etapa é saber o que é mais importante para sua vida como um todo. Considere todas as opções, desde levar o filho ao colégio até a entrega de um memorando no emprego. Não pense no julgamento de terceiros, importe-se apenas em ter certeza do que é mais importante para sua existência.

 

A lei que rege todas as arenas da vida

No curto prazo, as chamadas “soluções rápidas” conseguem aparente sucesso. Contudo, com o tempo aquela que vai conduzir todas as nossas escolhas é a Lei da Colheita, que diz que nada na vida será alcançado de forma rápida e sem esforço. No casamento, por exemplo, muitas pessoas não querem mudar seu estilo de vida anterior e não cultivam a semente de um propósito compartilhado. Por outro lado, ao adotar a Lei da Colheita, você buscará uma vida de altruísmo, de carinho, de ternura e consideração.

 

Foque sempre o mais importante

Primeiro o mais importante traz um processo semanal de 30 minutos que subordina o relógio à bússola e permite o leitor a deslocar o foco do que é considerado urgente para o que é importante. O autor mostrará os benefícios imediatos e como este processo pode auxiliá-lo no decorrer do tempo. A permanência deste foco na urgência é uma das maiores causas de infelicidade no ser humano que busca o equilíbrio na vida.

 

Definir metas não basta

Segundo Stephen Covey, determinar, simplesmente, os gols na vida não basta. Eles até podem ser alcançados, mas para serem duradouros, dois dons não podem faltar: 1) consciência, que alinha a missão e os propósitos e orienta o indivíduo no momento de suas escolhas; 2) autoconsciência, que vai capacitar cada um na construção da integridade.

 

Saiba mais sobre o livro Primeiro o mais importante:

TAGS:

Conteúdo Relacionado

Seis conselhos importantes de Rhonda Byrne em “O poder”