Seis biografias que mudarão o jeito do leitor perceber o mundo

9 de fevereiro de 2018 | por André Sequeira

Gabriel Medina, de Túlio Brandão

A história do garoto que superou adversidades e a pobreza, e lutou para se tornar um ídolo do surfe em todo mundo. Gabriel, com o apoio do padrasto/treinador, forjou um estilo próprio – hoje, copiado por outros atletas –, e tornou-se o primeiro brasileiro campeão do circuito mundial.

 

Rafa, minha história, de Rafael Nadal e John Carlin

O livro ideal para quem quer descobrir o que há por trás do atleta disciplinado e que, para muitos, já é considerado o maior de todos os tempos. Aqui o leitor conhecerá os medos, as obsessões, as manias e as fraquezas do menino que foi treinado desde pequeno pelo tio severo e que se tornou o Rei do Saibro do tênis.

 

Um ano na Provence, de Peter Mayle

Nesta autobiografia, Peter Mayle conta o que o levou a largar a vida corrida e atribulada na cidade para morar, ao lado da esposa, numa casa rural no sul da França. No primeiro ano, o ex-publicitário inglês realizou um registro mês a mês de sua ambientação à nova realidade e de suas incríveis descobertas e surpresas, tudo contado em detalhes, com descrições deslumbrantes e um humor refinado e irresistível.

 

Filho do Hamas, de Mosab Hassan Yousef

O autor conta como, mesmo sendo filho de um dos líderes fundadores do Hamas, organização fundamentalista islâmica responsável por inúmeros atentados a bomba contra Israel, tornou-se espião rival e converteu-se ao Cristianismo. Ele, inclusive, ajudou a desmantelar a ala militar do Hamas e, hoje, vive nos Estados Unidos.

 

Invictus, conquistando o inimigo, de John Carlin

O jornalista John Carlin narra uma das campanhas políticas mais impressionantes da história: a que Nelson Mandela empreendeu, ao longo de dez anos, para livrar a África do Sul do Apartheid. Em busca de uma causa capaz de unir brancos e negros da África do Sul, o presidente concordou em sediar a Copa do Mundo de Rúgbi. A escolha desse esporte parecia absurda, pois, por décadas, o rúgbi fora um símbolo da segregação racial. Contudo, o resultado foi maior do que o próprio Mandela poderia imaginar.

 

101 brasileiros que fizeram história, de Jorge Caldeira

Uma lista de personalidades nacionais que marcaram a história do Brasil. De 1500 até os dias atuais, os leitores poderão acompanhar a história do país contada por meio de personagens que deixaram suas marcas e ajudaram a moldar o que o país é hoje.

TAGS: