Entrevista com Cristiane Correa

12 de dezembro de 2017 | por André Sequeira

Cristiane Correa é jornalista, palestrante e, hoje, uma das autoras mais vendidas no Brasil, com seus livros publicados, inclusive, no exterior.

Autora de Sonho grande, com a trajetória de Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira, trio empresarial que ganhou projeção sem precedentes no cenário mundial; e Abilio, que traz a trajetória do empresário brasileiro mais importante do varejo global, Cristiane apresenta agora Vicente Falconi: O que importa é resultado, biografia do professor que revolucionou o modelo de gestão no Brasil.

Confira abaixo mais detalhes deste último trabalho da escritora.

 

De quem foi a ideia de escrever uma biografia sobre Vicente Falconi? Quanto tempo durou desde a primeira entrevista até a entrega do original para a editora? 

Assim como aconteceu nos outros livros, eu apresentei a ideia de escrever sobre o Falconi para a editora. Era um personagem que eu já conhecia havia muitos anos e que tivera um papel importante no Sonho grande. Eu achava que valia a pena mergulhar na história dele e em seu método – que pode ser transformador para empresas de todos os tamanhos e setores. Da primeira entrevista à entrega dos originais passaram-se 18 meses. Faço todas as entrevistas pessoalmente – e elas são dezenas, em geral longas –  além de uma pesquisa detalhada em jornais, revistas, livros e vídeos. O que toma mais meu tempo, porém, é escrever. Não sou muito rápida e levo vários meses nesse processo.

 

O que mais a surpreendeu neste professor que se tornou um dos consultores mais importantes do país, respeitado e ouvido pelos principais empresários brasileiros?

O Falconi teve uma visão privilegiada ao aprender sobre o melhor da gestão no exterior e trazer para o Brasil décadas atrás, quando conceitos como eficiência e produtividade não estavam muito em pauta. A partir daí ele criou um método simples – e esse é um dos seus maiores méritos – e se tornou o maior guru dos empresários brasileiros.

 

Você vê similaridades marcantes entre Jorge Paulo Lemann e seus sócios, Abilio Diniz e Vicente Falconi? Se sim, elas foram úteis para escrever este terceiro livro?

Cada um deles teve muito sucesso no que se propôs a fazer. Mais do que buscar similaridades, entendo que esses personagens se complementam na trilogia que escrevi. Lemann e seus sócios criaram a cultura empresarial mais vencedora do Brasil e há alguns anos estão disseminando esse estilo pelo mundo. Abilio é o melhor exemplo de selfmade man – nasceu numa família simples e fez do Pão de Açúcar o maior varejista do país. Falconi é o homem do método, aquele que mostra COMO grandes ideias podem ser colocadas em prática, por meio de processos, estabelecimento de metas e correção de erros.

 

Nos últimos anos, você se tornou biógrafa de ícones do empresariado brasileiro. Como se sente sendo hoje uma das escritoras brasileiras que mais vende livros no país? 

Eu gosto de pensar mais no impacto que meu trabalho tem sobre as pessoas do que na vendagem dos livros, propriamente dita. É isso que me traz mais alegria e sensação de “dever cumprido”. Converso muito com leitores, tanto pessoalmente quanto por meio de redes sociais, e sempre escuto relatos de gente que se inspirou nessas histórias para dar uma guinada em sua própria carreira ou empresa. Fico feliz quando as pessoas, ao lerem essas histórias, param de reclamar do governo e decidem arregaçar as mangas para correr atrás dos seus sonhos.

 

Qual será seu próximo biografado? Já tem algo em mente?

Ainda estou em uma fase intensa de divulgação deVicente Falconi: O que importa é resultado e depois disso quero… férias! (risos) Brincadeiras à parte, já estou pensando em novos projetos, mas é cedo para adiantar qualquer coisa.

TAGS:

Conteúdo Relacionado

Seis conselhos importantes de Rhonda Byrne em “O poder”