Não fique estagnado: reinvente-se profissionalmente!

30 de novembro de 2017 | por Editora Sextante

Nem toda carreira é construída como uma linha reta da base até o topo. Ao longo da nossa vida profissional, passamos por altos e baixos, além de oportunidades únicas que podem nos levar para caminhos imprevisíveis.

Um exemplo disso é Jack Welch, coautor de O MBA da vida real. Antes de ocupar o cargo de CEO da General Eletric por 21 anos, ele foi entregador de jornais, vendedor de sapatos e engenheiro químico. Hoje, é uma referência em gestão, marketing e liderança.

Neste artigo, inspirados pelo livro de Jack Welch e Suzy Welch, daremos dicas para quem quer mudar a direção da sua carreira profissional e não se estagnar em um emprego que odeia. 

 

Descubra o que quer da sua vida

Muitas pessoas se sentem estagnadas profissionalmente e incapazes de progredir em suas carreiras porque detestam seus atuais trabalhos. Estão insatisfeitas com as suas funções atuais, mas por inércia ou medo de arriscar, não deixam esses empregos.

E de fato, não é fácil largar tudo para seguir um sonho — especialmente quando ainda não sabemos exatamente o que exatamente desejamos.

O primeiro passo para quem quer se reinventar profissionalmente é descobrir aquilo que realmente gosta. Geralmente, quando um profissional se sente estagnado ele não sabe o que realmente quer da sua vida. Sabe apenas que não é mais o seu atual emprego.

Descobrir o que fazer profissionalmente não é uma tarefa tão fácil assim. É saudável, por exemplo, experimentar diversas áreas e funções na prática, além de estudar sobre funções que gostaria de exercer.

Mas em O MBA da vida real, Jack Welch descreve um método para acelerar essa descoberta. Chamado de ADD, ou Avaliação de Destino, ele é um processo de avaliação de carreira que tenta levar o profissional para o ponto de convergência entre aquilo que ele ama e aquilo que ele faz muito bem.

 

Transforme as suas escolhas em ações

Uma vez que o profissional descobre onde pretende chegar profissionalmente e esse objetivo é definido, é hora de começar a trabalhar para alcançá-lo. Transformar escolhas em ações exige uma boa dose de determinação e disposição para o risco, mas as consequências serão proporcionalmente recompensadoras.

Muito além de um excelente salário, quando trabalhamos com algo que amamos, nos sentimos mais satisfeitos e úteis. Ninguém é feliz improdutivo ou estagnado, logo, vale a pena dar esse passo e caminhar em direção a sua verdadeira vocação.

O mais importante aqui é saber que essa escolha é sua. Você não está preso a uma carreira infeliz ou a um emprego que não gosta. É possível sair da desanimadora pergunta “o que faço da minha vida?” para a empolgante afirmativa “eu amo o que faço!” E acredite, muitas pessoas sabem exatamente o que querem e estão trabalhando para esses objetivos.

 

E agora que você já sabe como mudar de rumo profissionalmente, que tal aproveitar para conhecer mais lições de Jack Welch em O MBA da vida real?

TAGS: