O que é o essencialismo e como ele pode te deixar mais produtivo e feliz?

21 de novembro de 2017 | por Editora Sextante

Os sentimentos de exaustão por sobrecarga e improdutividade na teoria deveriam ser opostos, mas a verdade é que eles se manifestam juntos na maior parte das vezes. E para quem já se cansou de enfrentar essa mistura de sensações, o Essencialismo é um caminho para reencontrar sua eficiência e também seu tempo livre.

Muitas vezes, temos a sensação de que o nosso tempo está sendo desperdiçado com interesses que definitivamente não são os nossos. Sempre ocupados para o que gostaríamos de fazer, passamos o dia empenhados em tarefas que não servem aos nossos principais objetivos.

Mas quando focamos apenas no essencial e aprendemos a recusar o que nos afasta das nossas metas, conseguimos resultados melhores e otimizamos nossa agenda. Neste artigo, apresentaremos o que é o essencialismo e explicaremos como ele pode deixá-lo muito mais feliz e produtivo. 

 

A disciplinada busca por menos

A ideia do essencialismo é fazer menos e ao mesmo tempo realizar mais. Não é incomum que muitas pessoas acreditem que os seus resultados profissionais, por exemplo, estão atrelados ao seu esforço e quantidade de horas trabalhadas.

Mas na verdade, não é o tempo gasto com o trabalho que faz com que um profissional seja produtivo, mas sim a sua capacidade de gerar valor naquele período. Por isso que quem trabalha longas horas pode muitas vezes ver a performance de um colega que se esforça por um tempo igual ou menor disparar na sua frente.

E isso não vale só para o trabalho. Em tudo que fazemos em nossas vidas, dedicamos tempo visando resultados, desde as horas na academia para cuidar do corpo até o relaxamento que buscamos quando vamos ao cinema.

No essencialismo, descobrimos que para conquistar mais é preciso ter foco naquilo que importa mais e eliminar todo o resto. Para isso, é fundamental disciplina para investirmos nosso tempo apenas no que realmente importa. Quando isso não é feito, outras pessoas, como colegas, chefes e família, tomam essa decisão por nós.

 

Saiba quando dizer não

Quem pratica o essencialismo é naturalmente mais produtivo e consegue um desempenho acima da média em tudo que faz. Por essa razão, um observador externo muitas vezes pode chegar à falsa conclusão de que o essencialista faz mais coisas em menos tempo, quando na verdade ele faz apenas as coisas certas.

Um dos princípios do essencialismo é se ocupar apenas com as tarefas que vão gerar mais resultado, mas isso significa também que eles estão prontos para recusar qualquer atividade que não seja vital ou relacionada aos seus objetivos.

Para isso, é importante ter um vasto repertório de “nãos”. Dizer “não” é algo que faz parte da rotina do essencialista. Para fazer menos e dar o máximo de contribuição possível ao que realmente importa, ele precisa recusar todo o resto.

Mas é importante destacar que o método do essencialismo não é o mesmo que recusar solicitações aleatoriamente. É fundamental analisar e enxergar a importância de cada proposta e, com disciplina e foco, escolher fazer as coisas certas.

Para aprender mais sobre o essencialismo e se iniciar neste método, vale a pena ler Essencialismo: a disciplinada busca por menos, de Greg McKeown.

TAGS: