A viagem interior que transformará a sua vida

19 de outubro de 2017 | por André Sequeira

Nos dias de hoje, as pessoas preocupam-se apenas com o futuro ou, no máximo, lamentam-se do passado. E o presente? Como traçar planos e superar épocas vividas se não refletimos sobre o que estamos vivendo neste exato momento?

Estamos sempre pensando na próxima tarefa, no próximo dia, passando rápido de uma atividade a outra, de um compromisso a outro, de um dia para outro. No meio do tempo, não analisamos possíveis erros e acertos, não refletimos sobre a própria vida, não evoluímos.

Para piorar, convivemos com uma impressionante inovação tecnológica da humanidade, que está cada vez mais presente no nosso cotidiano e domina grande parte do momento. Os indivíduos passam seu tempo – que poderia estar sendo utilizado como evolução interna e crescimento pessoal – checando redes sociais, respondendo e-mails e muito mais. A sensação é de como se estivéssemos afundando em areia movediça, sem conseguirmos sair do lugar. Resultado: a vida passa e quando percebemos, já estamos numa espiral infinita e infeliz.

Com o objetivo de combater tal realidade, muitas saídas são elaboradas e utilizadas, como a prática de exercícios, a leitura constante, a realização de ioga e aulas de relaxamento, entre muitas outras. Contudo, uma técnica específica tem chamado a atenção de centenas de milhares de pessoas em todo o planeta: atenção plena.

A atenção plena – ou mindfulness – é um tipo de meditação e, também, um estilo de vida que consiste em estar aberto à experiência presente, observando os próprios pensamentos sem julgamentos, críticas ou especulações. É também a consciência cultivada por meio de um foco de atenção prolongado e específico.

Para introduzir este método na vida de todos e desmistificar o fato da meditação ser algo perto do impossível, o médico Jon Kabat-Zinn produziu Atenção plena para iniciantes. Neste livro, ele trata do assunto como se o leitor nunca tivesse ouvido falar nele e não possuísse a mínima ideia do que é ou da razão porque vale a pena introduzir esta técnica em sua vida. Após a leitura, será possível descobrir como viver com mais intensidade, sinceridade e autenticidade, aprimorando o relacionamento com entes queridos, com o mundo exterior e, principalmente, consigo mesmo.

No começo, será como um salto no escuro. O importante é, principalmente por ser iniciante, que você compreenda que a meditação é como fazer amizade com seu pensamento, entendendo suas especificidades sem tentar mudá-los. Meditação não significa suprimir todos os pensamentos, mas sim, conviver com eles mesmo que sejam perturbadores ou inquietantes.

Com tempo, prática e vivência, você vai perceber que prática da atenção plena transbordará para todos os âmbitos de sua vida de modo natural.

Kabat-Zinn pretende que todos que buscaram a obra Atenção plena para iniciantes entendam que a mente tem vida própria e que, se compreendida, proporcionará momentos únicos e inesquecíveis para todos. E o mais importante: no presente, não no futuro e não no passado. Você perceberá que as variáveis tecnológicas disponíveis se tornarão menos relevantes, que o ritmo frenético do cotidiano, imperceptivelmente, ficará mais calmo.

Descubra tudo sobre o método da atenção plena lendo, também, o livro de Mark Williams e Danny Penman, especialistas no assunto. Você terá em mãos um guia para encontrar a paz em mundo frenético.

TAGS:

Conteúdo Relacionado

Seis conselhos importantes de Rhonda Byrne em “O poder”