A vida ama você

25 de setembro de 2017 | por Editora Sextante

É comum que crianças beijem seus reflexos no espelho. Todos nós, quando descobrimos o nosso corpo, temos um inerente amor próprio. Mas, ao longo da nossa vida, experiências negativas e inseguranças trazem o que o autor Robert Holden chama de medo essencial em A vida ama você: o medo de não merecer ser amado.

No livro escrito em parceria com Louise Hay, Holden explica que o seu relacionamento consigo mesmo é refletido em seu relacionamento com tudo e todos. É fundamental se sentir amado para se capaz de amar. E é possível iniciar esse ciclo sozinho, em frente ao espelho.

Amar não é uma teoria, mas sim uma prática. E como em qualquer prática, é possível treiná-la com exercícios.  Neste artigo, apresentaremos a importância de amar e permitir-se ser amado e como praticar isso com exercício do espelho descrito por Louise Hay e Robert Holden em A vida ama você.

 

Entenda que a vida ama você

A frase ‘A vida ama você’ é uma das favoritas da autora Louise Hay. E o livro escrito em parceria com Robert Holden leva esse nome justamente pelo poder que essa expressão tem.

Nossa percepção própria muitas vezes é recheada de uma autocrítica excessiva que não só prejudica nossa autoestima como também a nossa capacidade de amar. A nossa autoimagem é como um filtro da percepção que temos do mundo. “Não enxergamos as coisas exatamente como elas são, mas sim como nós somos”, explica Holden no primeiro capítulo de A vida ama você.

Lousie Hay nos deixou em 30 de agosto de 2017, aos 90 anos, em decorrência de causas naturais. Mas antes disso, ela foi uma pioneira no gênero de autoajuda, superou um câncer com um tratamento não-convencional e educou milhares de pessoas.

Em A vida ama você, Robert Holden e Louise Hay explicam, com base em experiências próprias, como superar desafios e entender que sim, somos dignos de sermos amados e o medo de inadequação ou rejeição não deve limitar essa nossa capacidade.

É muito comum acreditar que não somos bons o suficiente, bem-sucedidos, bonitos ou importantes o bastante para sermos amados. Para Robert Holden, essa desvalorização adquirida é o chamado mito da inadequação. E isso só pode ser superado quando estamos dispostos a abraçar a nossa verdade essencial de que sim, merecemos ser amados.

 

Aprendendo o exercício do espelho

Em A vida ama você, Holden e Hay ensinam sete técnicas para praticar o amor. E a primeira delas é o chamado exercício do espelho, que Louise ensinou para Robert e ele passou a adotar em seus treinamentos e palestras.

O exercício do espelho é uma prática simples, mas, ainda assim, é uma prática, portanto, deve ser executada para que a pessoa compreenda o seu poder. Não se limite apenas a essa leitura e procure o espelho mais próximo para treinar por conta própria.

Para realizar esse exercício, olhe sua própria imagem em um espelho, inspire lentamente e fale a frase: “A vida ama você”, ou a “A vida me ama”. Depois disso, solte o ar lentamente. Repita isso dez vezes.

Enquanto faz o exercício, perceba suas três respostas a ele: sensações (mensagens do corpo), emoções (sentimentos do coração) e pensamentos (comentários mentais). As sensações podem ser relaxamento ou tensão, por exemplo. As emoções são como tristeza ou felicidade. E os comentários mentais vão desde: “isso não funciona” até “não consigo fazer isso”.

Anote em um diário essas respostas e acompanhe o seu progresso neste treinamento. Lembre-se, não existem frases certas ou erradas neste exercício. A ideia é que, com essa prática, você consiga compreender que merece ser amado. Você não se tornará mais digno de ser amado, mas sim mais capaz de perceber que sim, A vida ama você!
Que aprender mais treinamentos para aprimorar sua capacidade de amar e permitir ser amado? Leia ‘A vida ama você’, de Louise Hay e Robert Holden.

TAGS: