Philip Kotler e o Marketing 4.0

28 de agosto de 2017 | por Caio Soares

Redes sociais, CRM, saúde da marca, big data, community management, influenciadores digitais. Esses termos já são mais ou menos conhecidos dos profissionais do marketing digital, uma área em constante evolução e que tenta à qualquer custo conquistar a atenção, o coração e o bolso de consumidores cada vez mais ativos, atentos e exigentes. Em meio a tantos termos e mudanças no marketing, é de se esperar que os grandes gurus do cenário contribuam com seus dois centavos sobre as novas tendências do mercado. Sete anos após o seminal Marketing 3.0, o papa Philip Kotler está de volta, e, apesar da idade avançada, mostra em Marketing 4.0 que está atento às novidades e desafios deste novo ecossistema digital e convergente.

“Meu novo livro é um esforço para olhar o marketing de uma dimensão diferente”, disse Kotler em participação recente em congresso na Associação Americana de Marketing, uma rara aparição pública. “Tradicionalmente o marketing foi concebido tendo a comunicação unilateral como base. Fortunas imensas foram construídas dessa forma, com uma mensagem forte e impiedosa de marcas como Kellogg’s e Campbell’s. Porém, aos poucos, a tecnologia e a conectividade foram mudando a maneira como devemos abordar o marketing”, comentou.

Kotler acredita que a convergência tecnologia irá levar à convergência total entre o marketing digital e o tradicional. De acordo com o autor, o propósito do novo livro é mostrar que o marketing deve se adaptar à natureza volátil do consumidor e seus caminhos dentro da economia digital. “O papel dos profissionais do marketing é guiar as pessoas pela imprevisível jornada do consumidor, cada vez mais desatento porém, de forma paradoxal, mais consciente do que, como e de quem quer comprar”, diz.

Philip Kotler

Ao tomar decisões de compra, os clientes se preocupam cada vez mais com as opiniões dos outros. Juntos, pintam sua própria imagem de empresas e marcas, que em grande parte é bastante diferente da imagem que as empresas e as marcas pretendem projetar. A internet, especialmente as mídias sociais, tem facilitado esta mudança importante, fornecendo plataforma, ferramentas e uma voz para um público que não estava acostumado a ter tanto poder assim. Para Kotler, isso mostra com clareza uma mudança no controle do mercado. “O que difere o cenário de consumo atual do cenário do século passado é que quem está no controle é o cliente, e não a empresa. Os consumidores estão em comunicação constante uns com os outros. É preciso navegar por esse ecossistema mais complexo e alcançar, mensurar e empoderar consumidores.

Kotler descreve no livro um dos modelos clássicos de jornada de consumo: AIDA, criado pelo marketeiro E. St. Elmo Lewis na virada do século XIX para o século XX. “Enquanto Lewis falava sobre atenção, interesse, desejo e ação, agora devemos mudar esta nomenclatura. Em um ambiente de marketing superconectado como o que vivemos atualmente, o consumidor deve começar pela assimilação, passar para a atração, para a arguição, ação e finalmente a apologia, onde se transforma em um defensor da marca”.

No entanto, o guru chama a atenção para a empolgação com as novas ferramentas do marketing digital. E aproveita para mandar um recado para os jovens profissionais. “Se você focar sua formação apenas no digital, você vai se tornar apenas um excelente especialista, mas nunca terá a visão geral do marketing. Sim, as qualificações digitais são importantes e valiosas, porém, não advoco pelo fim do marketing tradicional. A ideia é misturar o tradicional e o digital, a nova e a velha guarda”, comenta.

Não esperávamos coisa diferente vinda do criador dos 4Ps, não é?

TAGS: