Cinco aprendizados adquiridos com o livro “O que todo jovem talento precisa aprender”

24 de agosto de 2017 | por André Sequeira

Habilidade interpessoal = Vantagem estratégica

Atualmente, grande parte da geração Z não desenvolveu suas técnicas interpessoais. Para piorar, líderes têm convivido com ela sem tentar, ao menos, desenvolver este lado. Eles argumentam que tal função seria de responsabilidade da família de das escolas e universidades, e não percebem, entretanto, que se dedicassem tempo e recursos nesta questão, certamente sua empresa ou instituição estaria à frente da maioria dos concorrentes.

 

Falta de habilidades interpessoais elevam o número de demissões

Pesquisas e estudos realizados por Bruce Tulgan, autor de O que todo jovem precisa aprender, comprovaram que, a cada ano, as demissões em todo o planeta aumentam por motivos que não a falta de conhecimento técnico do funcionário. Segundo ele, os argumentos mais citados correspondem a problemas de relacionamento e rebeldia em relação aos superiores. Mais uma prova de que os jovens devem dar essencial importância a aspectos fora do currículo.

 

Características interpessoais mais desejadas na geração Z

Os atributos que os profissionais experientes mais gostariam de ver nos jovens de hoje são: profissionalismo, pensamento crítico e capacidade de seguir uma liderança. Entre os fundamentos para análise do primeiro deles estariam: autoavaliação; responsabilidade; atitude positiva; bons hábitos profissionais; saber lidar com pessoas. Quanto ao segundo: aprendizado proativo; resolução de problemas; tomada de decisões. Para o terceiro e último atributo, teria-se como fundamentos: respeito pelo contexto; cidadania; prestreza; trabalho em equipe.

 

Não existe o momento em que o gestor pode parar de dar atenção ao subordinado

Este marco só chega quando o gestor quiser que o funcionário pare de se dedicar com afinco. A melhor maneira de transformar um profissional mediano em um de baixo desempenho é deixá-lo sem orientação, instrução, apoio ou coaching. O papel de um verdadeiro líder é estimular sua equipe e torná-la mais qualificada e eficiente, não só pelo bem da empresa, mas também porque é fundamental para manter a geração Z concentrada e motivada.

 

Habilidade interpessoal não é luxo ou requinte

Certamente as qualidades técnicas são mais fáceis de definir e de medir. Contudo, não se engane: as interpessoais têm hoje igual importância. Alguns líderes, inclusive, já as consideram mais relevantes do que um currículo profissional impecável. Estas habilidades fazem a diferença no mercado de trabalho, pois são de um enorme poder, uma arma secreta para qualquer organização.

 

Conheça o livro:

TAGS: