Marketing 4.0 – O mundo mudou

14 de agosto de 2017 | por Caio Soares

Muita coisa aconteceu no mundo desde que Philip Kotler escreveu Marketing 3.0, em 2010. Em apenas sete anos, vivenciamos uma verdadeira revolução no meio digital, área em constante evolução e tendências cada vez mais fugazes. Em um mundo onde Amazon, Apple, Facebook, Microsoft e Google dominam grande parte da economia global e ditam os caminhos da era da internet, o que é preciso fazer para se manter atualizado e não ficar para trás perante um consumidor cada vez mais conectado e exigente? Felizmente, o pai moderno do marketing está de volta.

Em Marketing 4.0, Kotler afirma que as tecnologias que estamos vendo hoje não são novas. De fato, as cinco empresas mencionadas acima já estão no mercado há algum tempo. O que mudou de 2010 para cá? De acordo com o autor, a convergência entre as tecnologias oferecidas pelas gigantes da tecnologia é gritante, e o impacto coletivo dessa convergência tem afetado – e muito – as práticas de marketing em todo o mundo. Ao analisar a atual situação do marketing, Kotler aponta novas tendências, como a economia compartilhada, a integração onicanal (integração de canais online e offline quase imperceptível para o cliente), marketing de conteúdo, CRM social e muito mais.

 

Se no livro anterior Kotler falava sobre uma visão do marketing centrada no ser humano e em seus valores, agora ele descreve um aprofundamento e um alargamento do marketing para cobrir todos os aspectos da jornada do cliente. Atualmente, se uma marca quer um cliente, ela precisa conquistar seu recurso mais difícil: a atenção. Em um mundo globalizado e marcado pela eficiência dos processos, os consumidores têm menos tempo para dedicar para uma marca. Além disso, a competição é cada vez mais ferrenha, com um sem fim de opções e alternativas em quase todos os segmentos de consumo. Para Kotler, a solução passa pela busca ativa: é preciso ir atrás dos consumidores, chamar sua atenção e entregar a mensagem que eles querem ouvir. Porém, se no “marketing das antigas” chamava-se a atenção do consumidor por meios de difusão de massa como TV, jornais e outdoors, atualmente essa estratégia é muito mais silenciosa e tecnológica.

O marketing 4.0 é centrado em dados e a exploração dessas informações valiosas para personalizar o trabalho de conquista do usuário e se antecipar aos desejos. Sim, atualmente, é possível seduzir o consumidor com produtos que ele ainda nem sabe que quer! A Amazon já se utiliza de análise de big data e inteligência artificial para ser cada vez mais assertiva nas sugestões de compra para seus clientes. Assistentes pessoais como Echo, Siri e o Google Home já são facilitadores no dia a dia de milhares de pessoas e nos levam na direção das casas inteligentes, onde a internet das coisas irá antecipar necessidades e desejos de seus habitantes.

Além disso, Kotler apresenta novos conceitos, como os 5As (assimilação, atração, arguição, ação e apologia) que representam uma nova jornada do consumidor, e formas de metrificar a conversão de vendas e a defesa de uma marca, chamadas pelo autor de coeficiente de ação de compra (CAC) e o coeficiente de defesa da marca (CDM). Mesmo com 85 anos, Kotler mostra que está muito atualizado. Marketing 4.0 é relevante porque atualiza velhos saberes (propagados pelo próprio autor) em uma análise contemporânea, visionária e de fácil entendimento. Desta vez, não são apenas as regras que mudaram: são os próprios clientes. O livro traz grandes sacadas, resultado dos vários anos de experiência do autor enquanto professor universitário, além de uma parte psicológica fundamental que ajuda os profissionais e empresários a entrar na cabeça dos seus clientes.

TAGS: