Sete dicas para lidar e despertar os superpoderes dos jovens introvertidos

4 de agosto de 2017 | por Caio Soares

A necessidade de ser “sociável” parece ser um pré-requisito em nossa sociedade, que valoriza pessoas extrovertidas, expansivas e cheias de confiança. Essa cobrança muitas vezes começa já na infância. Seja na escola, em casa ou em situações com familiares e amigos, a criança é exposta a situações que muitas vezes não se sente confortável, o que pode provocar preocupações nos pais e adultos ao redor. Apesar do imaginário popular, não existe nada de errado em ser pai de uma criança introvertida. Susan Cain, autora bestseller e grande estudiosa dos introvertidos, compartilha em O poder dos quietos para jovens suas descobertas e experiências para ajudar crianças e adolescentes reservados a vencer os desafios sociais que costumam enfrentar nessa fase da vida. No livro, a autora revela que crianças e adolescentes introvertidos reúnem uma série de qualidades únicas que podem e devem ser celebradas pelos pais. Confira algumas dicas e conselhos para lidar com jovens introvertidos e reconhecer e despertar os ‘superpoderes’ de seus filhos.

 

Tire seu filho da zona de conforto – mas gentilmente

Aceitar a introversão de seu filho não significa que você não deva tirá-lo de sua zona de conforto. No entanto, é preciso ter cuidado. Para Susan, a abordagem correta é essencial. “Tome muito cuidado com o tom de voz que usa com seu filho. Além disso, evite perguntas como ‘Tem alguma coisa errada com você’, ‘Por que você nunca quer sair’. Opte por questões como ‘você se sente confortável indo para esta festa?’ ou ‘O que você está pensando?’”, comenta Susan. “Os pais não devem excluir seus filhos de situações sociais mais desafiadoras, e sim mostrar que eles entendem os sentimentos e querem ajudar”, conclui.

 

Eles se satisfazem em ficar sozinhos – entenda isso!

Crianças e jovens introvertidos são considerados de “baixa-manutenção”, no sentido de que ficam contentes em ficar sozinhos, com brincadeiras ou atividades individuais. Com isso, não precisam de um estímulo externo constante (como alguém sempre chamando a atenção). “Queremos interagir com nossos filhos depois da escola; queremos vê-los interagindo com seus colegas em atividades extracurriculares. Mas precisamos ter cuidado para distinguir nossas necessidades das deles. Isso não significa que um filho introvertido vá passar a adolescência inteira sozinho em seu quarto. No entanto, significa, sim, que respeitar sua necessidade de um pequeno período de solidão pode lhe dar o descanso de que ele necessita para enfrentar o resto do dia, sentindo-se mais feliz, com mais energia e mais presente e disponível para as pessoas que o cercam.”, escreve Susan.

 

Estimule a prática de esportes

Os jovens introvertidos possuem três superpoderes cruciais: tolerância a treinos solitários, busca da perfeição e intensa concentração. Ajude o jovem a canalize sua capacidade de concentração para o esporte e se aperfeiçoar e se destacar. Corrida, natação e esgrima são uma ótima forma de os introvertidos liberar a ansiedade e a frustração social, além de promover bem-estar mental.

 

Estimule a criação de “nichos restauradores”

Os introvertidos podem ser extremamente sensíveis aos estímulos externos. Por isso, é muito importante para os jovens encontrar um “nicho restaurador”, um lugar físico ou mental onde possam isolar o barulho e o caos do mundo, estar sozinho com suas ideias e seus sentimentos, e se revigorar depois de um dia cansativo com outras pessoas. O nicho restaurador lhe permite voltar ao seu verdadeiro eu, como um botão de reiniciar. “Os nichos restauradores são essenciais para a felicidade do introvertido. Gostamos do nosso período de recolhimento após um dia cansativo de aula ou um evento com parentes e amigos”, escreve Susan.

 

Estimule a capacidade de escutar

Susan Cain diz que a capacidade de escutar é um dos superpoderes dos jovens. “Use-o ao conhecer novas pessoas, fazendo perguntas sobre elas e depois fazendo novas perguntas que mostrem que você está prestando atenção. Você descobrirá rapidamente muitas coisas sobre essas pessoas e, como bônus, dará a si mesmo uma folga na fala enquanto o outro lhe conta suas histórias”. Para a autora, a capacidade de fazer uma pessoa se sentir à vontade e ouvida pode revelar verdades fascinantes e ocultas!

 

Ajude seu filho a encontrar uma atividade específica – mesmo que possa ser uma inesperada

Uma das dicas que Cain dá em O poder dos quietos para jovens é que os pais devem ajudar seus filhos na busca por uma atividade extracurricular que eles possam se identificar e serem bem-sucedidos. Curiosamente, Cain diz que a escolha dessa atividade pode contradizer a natureza quieta do jovem, e conta o exemplo de atores famosos como Steve Martin e Emma Watson. “A própria ideia de artista introvertido talvez soe como uma contradição, mas a pediatra Marianne Kuzujanakis diz que se apresentar é menos uma escolha do que uma necessidade para atores, músicos ou comediantes introvertidos: ‘ Quer cantem, dancem ou atuem, eles têm uma habilidade e uma paixão que clamam por se expressar. Se aparecer em público é a melhor maneira de expressarem sua alma, alguns resolvem que a sensação de risco vale a pena. Depois de se apresentarem, podem voltar a ser quem são de verdade e recarregar as energias na solidão, se for preciso.’”, escreve Susan.

 

Planeje com cuidado os encontros (e tenha sempre um plano de ação)

Os introvertidos podem se sentir mais confortáveis se chegarem cedo para uma festa de aniversário ou ir acompanhado de um amigo. Deixe que eles se sintam à vontade para interagir da forma que preferirem. É importante pensar em um plano de saída caso eles se sintam desconfortáveis. “Mesmo que você não tenha a intenção de utilizá-lo, é importante explicar para que o jovem não se sinta em uma armadilha”, comenta.

TAGS: