Conheça as características das cinco feridas emocionais

31 de julho de 2017 | por André Sequeira

Rejeição

Surge entre o nascimento e um ano de idade e manifesta-se com o genitor do mesmo sexo. Aquele que sofre desta ferida tem desprendimento da questão material, é perfeccionista e intelectual. Não se acha uma pessoa de valor e se considera sem importância. Está sempre buscando meios de fuga e julga-se incompreendido pelo mundo. Perde o apetite em virtude das emoções e do medo.

 

Abandono

Surge entre um e três anos de idade e manifesta-se com a figura parental do sexo oposto. Além de possuir um olhar triste, usa regularmente expressões como “não suporto”, “não largam do meu pé”, “sozinho”. Costuma se fazer de vítima, é exclusivista e implora por atenção constante. Não aceita “não” como resposta e adora sexo. Vive em eterno estado de solidão, mas não perde o apetite, muito pelo contrário.

 

Humilhação

Surge entre um e três anos de idade e manifesta-se com o genitor responsável pelo desenvolvimento físico do indivíduo. Desde cedo sente vergonha de si mesmo e tem medo de situações embaraçosas. Considera-se desleal e sem coração, e odeia se exceder. É hipersensível e castiga-se julgando castigar o próximo. Desconta suas agonias na comida. Tem pavor da liberdade e precisa ser controlado.

 

Traição

Surge entre dois e quatro anos de idade e manifesta-se com a figura parental do sexo oposto. Aquele com esta ferida possui um olhar intenso e sedutor e perspicaz. É daqueles com o discurso “deixa que eu faço sozinho”. Julga-se responsável e precisa ser importante, mas falha em cumprir os compromissos e promessas. Mente e é manipulador, sempre com humor instável. É intolerante e impaciente. Por se achar melhor que os demais, é eficiente para ser notado. Não exibe os próprios pontos fracos. Vive em agonia com a possibilidade de ser traído.

 

Injustiça

Surge entre quatro e seis anos de idade e manifesta-se com o genitor do mesmo sexo. Um inquieto por natureza. Fechado emocionalmente, não admite ter problemas e exige muito de si mesmo. Vive de extremos e compara-se, a todo momento, com o melhor e o pior. Possui necessidade de ser rígido física e emocionalmente e aprecia a ordem. Finge postura sexy.

 

Conheça o livro As cinco feridas emocionais, de Lise Bourbeau

TAGS: