TED Talks: uma introdução + uma viagem literária pelo mundo

7 de maio de 2017 | por Thaís Paiva

Aqui na Sextante somos muito fãs de TED Talks. Somos apaixonados pela disseminação do conhecimento, por ideias inovadoras e por pessoas que pensam fora da caixa, algo que se traduz nos livros que decidimos publicar. Não à toa, publicamos vários autores que são profissionais de relevo em suas áreas, mas que ficaram famosos entre o grande público só depois de terem participado de talks no mundo inteiro.

Então é assim: alguns autores têm livros e têm TED Talks – mas às vezes a pessoa que lê o livro não sabe que existe esse TED Talk, e a pessoa que assiste ao TED Talk não sabe que tem o livro.

Para conectar as duas coisas, nosso blog vai publicar uma série de posts unindo as duas frentes.

TED Talks: o que são, onde vivem, como se reproduzem

Um dia eu acordei e havia TED Talks, e todo mundo só falava deles. No terceiro vídeo assistido, a ideia da iniciativa já era bem clara, mas foi só agora, escrevendo esse post, que fui procurar saber como eles se apresentam para o mundo para poder contar para vocês. TED é uma organização global sem fins lucrativos que tem o objetivo de tornar ideias brilhantes acessíveis e fomentar o diálogo, geralmente no formato de palestras curtas de até 18 minutos. Fiquei surpresa ao descobrir que TED existe desde 1984, no formato de conferências sobre Tecnologia, Entretenimento e Design (T, E, D, sacou?). Hoje, além das conferências principais, há os TED Talks e há o TEDx, que encoraja a criação de Talks em comunidades locais no mundo todo.

Hoje em dia, TED Talkers vão desde neurocientistas, bioquímicos, engenheiros, filantropos, até atletas paraolímpicos, youtubers, diretoras de filmes eróticos com abordagens diferentes, alunos-modelo de 10 anos de idade. Uma coisa é certa: com as palestras, o mundo se torna um lugar mais divertido e instigante.

Para abrir esta sessão, escolhi um TED que é especial por falar justamente de livros: Ann Morgan se considerava uma pessoa muito letrada até perceber que não tinha lido quase nenhum livro que não fosse de autores anglófilos. Assim, desafiou-se a ler um livro de cada país ao longo de um ano. E sim, ela leu um livro brasileiro: A casa dos budas ditosos, de João Ubaldo Ribeiro.

Legendas disponíveis. Clique no vídeo (no cantinho direito) para ativá-las.

TAGS: