A mágica da arrumação e as mudanças de vida

7 de maio de 2017 | por Melissa Lopes

Antes mesmo do lançamento do livro A mágica da arrumação, ele já estava “causando” dentro da editora. Quando a Alice, coordenadora dos livros de autoajuda e espiritualidade, me disse que estava preparando o texto e adorando, eu fiquei bastante interessada. Batíamos altos papos sobre as dicas da Marie Kondo e as propostas de mudança de comportamento e estilo de vida.

Eu já vinha lendo muita coisa sobre minimalismo, desapego, sustentabilidade, e estava nesse processo de questionar meus hábitos de consumo e de organização. Quanto mais coisas ela me contava, mais ansiosa eu ficava por começar a “Kondar” tudo. E a empolgação foi tão grande que, mesmo antes de ler o livro, eu comecei a fazer a limpa lá em casa.

Ainda sem as técnicas e sem seguir o passo a passo proposto pela Marie Kondo, consegui separar várias bolsas de itens para doar ou jogar fora. Algumas coisas estavam em ótimo estado e tinha até objetos que eu nunca tinha usado. Aí tive a ideia de fazer um minibazar com as coisinhas mais legais e oferecer aos colegas no trabalho.

Gente, não é que bombou? Os perfumes, por exemplo, foram vendidos em questão de minutos. Foi ótimo ver que algumas coisas que só estavam juntando poeira poderiam ser úteis para outras pessoas.

E então o livro saiu e… eu devorei! A leitura flui, é superagradável. Faz você refletir sobre os hábitos de compra, acúmulo, descarte, arrumação, organização… Traz dicas valiosas para mudar seu espaço para sempre. E tudo isso com muita simplicidade. Eu, que sou péssima em raciocínio espacial, achei que nunca fosse conseguir aprender a dobrar as roupas do jeito que a autora propõe, mas logo depois estava lá tirando foto de como deixei bonitinhas estas camisetas, enroladinhas e formando uma paleta de cores! Quem diria?!

Imagem1

E, claro, acabei juntando coisas para um segundo bazar! Dessa vez a “Kondação” lá em casa seguiu o livro à risca. Fui fazendo direitinho o processo, cômodo por cômodo, perguntando a mim mesma se aquele item me trazia alegria. No quarto – sem dúvida o lugar mais crítico –, tirei toooodas as minhas roupas do armário e coloquei em cima da cama, experimentando as peças que ainda me deixavam em dúvida e questionando se realmente me faziam sentir melhor e mais bonita.

Imagem2

E fiz algo que achei que nunca fosse fazer: mexi nas minhas caixas de cartas e cartões antigos – sim, eu sou dessa época de mandar cartas! Tirei fotos das coisas que tinham mais valor sentimental e então joguei fora muito papel velho. Libertador!

Imagem3

O segundo bazar também foi um sucesso, e em dobro, porque dessa vez fiz em dupla, com a Alice, que me ajudou a dar início a toda essa transformação.

Imagem4

Posso dizer que este livro mudou a minha vida e que o que aprendi não tem volta. Penso muito mais antes de comprar qualquer coisa, seja uma roupa seja algo pra casa, e também acho muito mais fácil arrumar as coisas em seus devidos lugares agora que está tudo bem mais à vista.

Não vou te enganar: o processo tem que ser repetido de tempos em tempos, porque você sente essa necessidade. Só que a cada vez fica mais fácil e mais prazeroso, é sério!

Agora, por exemplo, está na hora de trocar minhas roupas de verão pelas de outono/inverno, e de dar outra geral na casa inteira. Mas antes disso quero ler o novo livro da Marie Kondo –Isso me traz alegria. Ele apresenta vários temas novos, dicas inéditas e, para dar uma forcinha extra para aquelas pessoas que, como eu, não conseguem entender bem como dobrar as roupas, é ilustrado! Uma graça!

E pode deixar que depois eu conto como foi.

TAGS: