5 formas de boicotar os seus planos de emagrecer

10 de maio de 2016 | por Clarissa Oliveira

Chega a ser um clichê, mas preciso admitir que comecei o ano dizendo que iria fechar a boca, entrar numa academia e perder aqueles dez – ou cinco ou quinze – quilos que me fariam atingir aquele sonhado peso que me colocaria dentro do IMC “ideal” e também me faria caber nas calças tamanho 40 ou 42. Como editora de livros de autoajuda, saúde e espiritualidade há mais de dez anos, arrisco dizer que tenho consciência do que preciso fazer para perder peso. Não sou nutricionista nem profissional de educação física, mas seja qual for plano alimentar ou atividade física, sei muito bem que perder peso envolve comer menos (ou no mínimo melhor) e se mexer mais. E, claro, jurei fazer ambos para perder os tais 5/10/15 quilos.

E, no entanto… Cá estamos e não fiz nada. Não parei de comer açúcar (nem glúten, nem laticínios). Não me matriculei na academia perto do trabalho. Não perdi peso nem medidas – pelo menos, não que eu saiba, pois sequer subi numa balança ou tirei a fita métrica da caixinha de costura. Por isso, em vez de vestir a manta da sabedoria (hipocrisia!) e dar dicas de como emagrecer, vou fazer o contrário.

Aqui vão as minhas dicas para quem, como eu, pretende ficar só na vontade de emagrecer:

Pense muito e aja pouco

sem

Calma! Segura essa vontade imensa de tomar uma atitude nesse momento. Para e pensa. Muito. Reflita bastante sobre qual dieta fazer, se vai usar o método dos pontos ou se vai cortar carboidratos (ou glúten ou laticínio) ou se vai seguir a dieta da celebridade que emagreceu horrores para fazer o papel de um viciado em drogas. No momento em que surgir uma boa opção, critique: foque nos pontos negativos. Será que vai dar certo, mesmo? Dê ouvido a seu senso crítico – aposto que ele é bem pessimista realista. Pense muito na academia ideal (boa, barata, perto de casa!) ou na atividade física e no horário em que isso vai se encaixar na sua rotina. Chegue à inevitável conclusão de que qualquer mudança será complexa, não há solução ideal e, portanto, não vale a pena o esforço.

Não tenha um plano concreto nem metas para alcançar

meta12

O primeiro passo é ignorar totalmente os números: seu peso, suas medidas. Claro, é difícil ignorar o fato de as roupas não estarem cabendo muito bem. Mas evite colocar um número concreto nesse excesso de peso – e especialmente evite anotar o quanto você pretende perder e em quanto tempo. Não anote nada, não programe nada, não jogue fora as guloseimas nem compre alimentos saudáveis. Deixa a vida seguir seu fluxo, assim, do jeito que está.

Estabeleça metas muito ambiciosas

metasae

Se você estiver muito desesperado com a balança, se a situação for de fato tensa – tipo, nenhuma roupa cabe mais ou o sobrepeso está afetando sua saúde (talvez tenha o colesterol ou a glicose elevada, ou quem sabe recebeu uma advertência do médico?) – aí não tem como fugir das metas. Mas, calma, se quiser mesmo se boicotar, faça o seguinte: coloque uma meta bem ambiciosa, praticamente impossível. Tipo: “vou perder 10 quilos em dois meses” ou “vou caber naquela calça jeans que eu usava quando tinha 21 anos” ou “vou viver de suco verde e sopa de repolho por 40 dias”. Prontinho.

Faça tudo sozinho

hom

Contar com a ajuda dos outros é coisa de gente fraca, né? Para que se aliar a um parceiro ou amigo ou colega de trabalho ou até mesmo um conhecido que se encontra na mesma situação, quando você pode fazer tudo sozinho, de forma bem solitária e isolada do mundo? É muito melhor fazer coisas difíceis sem apoio nenhum (e sem alguém a quem prestar contas!).

Aposte tudo na força de vontade

34

“Basta querer”. “É uma questão de disciplina”. “Não importa a dificuldade, vou vencer!”. É bem mais legal encher a boca e a mente de frases prontas do que tomar medidas concretas, pequenas e certeiras para mudar sua rotina, adquirir hábitos saudáveis e perder peso de forma sustentável. Estudos apontam que contar demais com a força de vontade quase sempre fracassa; que mudanças efetivas são feitas gradualmente, substituindo maus hábitos com hábitos novos, mais alinhados com seus objetivos. Mas ignore isso e põe as fichas na força de vontade.

Cara, perder peso não é fácil. Não tenho as respostas (se tivesse, estaria escrevendo e não editando livros!). Mas enquanto a disposição de tomar um passo concreto em direção a uma vida mais saudável não vier, pelo menos eu estou de olhos bem abertos para a tentação da autossabotagem.

E você, o que tem feito – ou não – para entrar na sua calça jeans favorita?

TAGS: